Sinovac manda Bolsonaro calar sobre a China para garantir entrega de insumos

9 de junho de 2021 11:50

De acordo com documentos apresentados na CPI do Covid descobertos pelo jornal O Globo, a farmacêutica chinesa SinoVac cobrou mudanças de posicionamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para que volte a garantir o envio de insumos ao Instituto Butantan para produção da vacina Coronavac.

Há cerca de quinze dias, o presidente criticou a China, dando a entender que o vírus poderia ser uma produção de laboratório.  No mesmo período, o número de insumos enviados ao Brasil caiu drasticamente.

O executivo da SinoVac, segundo o relato oficial, pediu uma mudança no posicionamento político no Brasil para que houvesse uma relação “mais fluida” entre os países e fez questão de ressaltar “a importância do apoio político para a realização das exportações, e mesmo a possibilidade de tratamento preferencial a determinados países”.

A farmacêutica ainda informou que há possibilidade de atender toda a demanda, porém é necessário estabelecer uma ordem entre os compradores.

Dimas Covas, presidente do Instituto Butantan, já havia alertado para os reflexos negativos dos ataques do genocida ao país asiático.

Na CPI da Covid, o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e o atual, Marcelo Queiroga, disseram que as opiniões e mentiras de Bolsonaro envolvendo a China – entre outras barbaridades disse que o vírus da covid pode ter sido produzido num laboratório no país – não tiveram qualquer tipo de desdobramento negativo.

Fonte: DCM / Reprodução: Instituto Butantan

Tag: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *