Internet em peso chama Bolsonaro de corrupto e ladrão após revelação de que ele roubava 90% dos salários de funcionários

5 de julho de 2021 14:16

Usuários foram ao Twitter criticar Jair Bolsonaro após novas revelações apontarem atuação direta dele para o desvio de salários de assessores tanto no gabinete dele quando era deputado federal como no de Flávio Bolsonaro na época em que o atual senador ocupava uma cadeira na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). “Corrupto”, afirmou o ator Gregório Duvivier. 

Ex-cunhada de Jair Bolsonaro, a fisiculturista Andrea Siqueira Valle afirmou, por exemplo, que ele demitiu um irmão dela, André Siqueira Valle, por ter se recusado a entregar a maior parte do salário de assessor do então deputado federal. De acordo com Andrea, Bolsonaro retirou de um familiar dela do esquema por não entregar o valor combinado – quase 90% do salário.

“Rachadinha = roubo. Quem faz rachadinha = ladrão”, postou o jornalista Leandro Demori.

“Pode chamar de corrupto sim”, afirmou a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ). “Ele sabia de tudo e mandava demitir quem não devolvia parte do salário”, disse.

“Bolsonaro SEMPRE foi corrupto!”, postou a deputada federal Erika Kokay (PT-DF).

O jornalista Xico Sá classificou Bolsonaro como o “rachadão do Patriarca, 30 anos como sanguessuga do dinheiro público!”.

Médico e pesquisador da USP, Daniel A. Dourado também criticou Bolsonaro. “Da rachadinha ao crime contra a humanidade: a história do miliciano que virou presidente. Parece que estamos chegando na última parte. Tomara que o final dessa história chegue logo”.

“Era um verdadeiro negócio em família”, disse a presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR). “Quem era usado nem sempre concordava”, afirmou. 

“Esse é o homem que prometeu acabar com a mamata”, escreveu o líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos.

Fonte: Brasil 247 / Jornalistas Livres | Reprodução | Câmara dos Deputados | Abraji

Tag: ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *