Ciro Gomes muda o tom e sinaliza aliança com Lula no segundo turno: “Eu quero unir o Brasil”

18 de maio de 2022 10:11

Em conversa com o economista Eduardo MoreiraCiro Gomes (PDT), ao responder se aceitaria um apoio de Lula caso fosse ao segundo turno, surpreendeu com a sua resposta e sinalizou uma abertura para diálogo com o ex-presidente. 

Além disso, Ciro Gomes rejeitou a equiparação entre Lula e o presidente da República. “Bolsonaro é um bandido, é inimigo da República. O Lula é um politiqueiro sem ideia nenhuma e que vendeu a alma para o sistema. Mas é do campo da democracia. A diferença é essa”.

O pedetista continua e afirma que “com Bolsonaro eu não quero ir para canto nenhum, mas aceitar o apoio do Lula, sem nenhuma dúvida eu aceitaria. Eu quero unir o Brasil. Essas diferenças não podem ser tão graves que amanhã impeçam o Brasil de se reconciliar. Eu vou dar a minha parte, vem de lá Lula, que eu vou de cá”.

Surpreendido com a declaração de Giro Gomes, Eduardo Moreira afirma que a resposta do pedetista “traça uma linha muito clara dizendo o seguinte: de um lado está o Bolsonaro e todas essas atitudes fascistas, racistas, preconceituosas, autoritárias etc. E do outro lado existe um campo gigantesco onde eu estou muito distante do candidato Lula, mas estamos do outro lado. Isso é o mais importante que a gente precisa saber nesse momento. Essa resposta [do Ciro Gomes] é um motivo para celebrar”.

Fonte: Revista Fórum

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.